Avançar para o conteúdo
REIF C RICHIE CULVER + CARINCUR + ALCAIDE

REIF C/ RICHIE CULVER + CARINCUR + ALCAIDE

Richie Culver Antro da normalidade situado na zona Este de Yorkshire, Hull não teria dado um contributo muito decisivo para a história da música no Reino Unido, não fosse essa mesma paisagem tépida aquela que deu vida aos Throbbing Gristle. Talvez outros fogachos tenham acontecido e Basil Kirchin viveu por lá alguns anos, mas para todos os efeitos, não existe um legado palpável que associemos a uma determinada movimentação musical como noutras latitudes mais reverenciadas – Manchester, Sheffield ou Bristol. Disco-reflexo do regresso de Richie Culver à sua cidade de origem, após paragens mais cosmopolitas, ‘I was born by the sea’ não procura achincalhar nem glorificar Hull, mas sim projectar um espelho retorcido mas não menos real da mesma, de giros mentais e físicos, de pequenos nadas que se transformam em tudo. Já com um trabalho reconhecido nos meandros das artes plásticas e multimédia, ganhou especial relevância após a controvérsia e impacto viral que a pintura ‘Did U Cum Yet?’ gerou no Instagram, numa referência ao processo masturbatório que é apresentar arte nas redes sociais. Algo que indignou muita gente, deixou umas tantas a coçar a cabeça e gerou uma torrente de comentários que se transformou em livro – após o próprio Culver ter destruído a peça – e teve continuidade com o EP ‘Did u cum yet?/I’m not gonna cum’ assinado em colaboração com Blackhaine, e alavancando o interesse desta mente na música para algo mais expressivo. E igualmente pessoal. Continuando a senda colaborativa já em 2022 com Pavel Milyakov tcp Buttechno em ‘A Change of Nothing’, Culver atira-se de forma revelatória à sua solidão em duas fases: primeiro com a edição de ‘Post Traumatic Fantasy’ pela muito activa Superpang e com o supracitado postal de vivências em Hull de ‘I was born by the sea’ pela REIF. Passeio por entre possíveis memórias e pedaços lacónicos de realidade despejados de maneira bem paciente em retalhos de spoken word que confundem significados e se encrustam no torpor das camadas de pads e acordes dolentes de sintetizador. Aparentemente ambiental no sentido algo contemplativo que aqui se ergue, a música de Culver escapa a essa sina sem se impor, reclamando a atenção por vias quase alucinatórias onde a palavra e o som se enredam em múltiplas realidades. Singular. Precioso. BS

ABERTURA DE PORTAS

21h00

PREÇOS

REIF C/ RICHIE CULVER + CARINCUR + ALCAIDE

Data

26 Jan 2023
Expired!

Hora

22:00
Galeria Zé dos Bois (ZDB)

Localização

Galeria Zé dos Bois (ZDB)
Rua da Barroca 59 - Lisboa
Website
https://cartazculturallisboa.pt/agenda-galeria-ze-dos-bois/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *