Avançar para o conteúdo
Bate-estradas - Joana Brito Silva

Bate-estradas – Joana Brito Silva

50 anos depois do 25 de Abril voltam a erguer-se cravos e a abrir-se as portas do Palácio da Quinta Alegre para a mais recente versão de Bate-estradas.

Nos anos de 1960, com o eclodir da Guerra Colonial, o Movimento Nacional Feminino, organização enfeudada nos interesses propagandísticos da ditadura salazarista, reinventou o conceito de “madrinha de guerra”, imanação da figura surgida na Primeira Grande Guerra, em França, por obra de católicos conservadores, e bastante popularizada em alguns países beligerantes, como Portugal. Ora, o papel da “madrinha de guerra” consistia em colocar uma jovem rapariga a trocar correspondência com um soldado em campanha, uma forma de o motivar psicológica e emocionalmente.

Por ocasião do Festival Todos de 2021, decorrido na freguesia de Santa Clara, Joana Brito Silva preparava um percurso performativo quando conheceu uma antiga “madrinha” que 50 anos depois, e à semelhança de inúmeras mulheres, continua casada com o soldado com quem se correspondia. Foi o início de um imenso trabalho de pesquisa que permitiu à autora mergulhar no passado colonial e fazer “o desenho de um Portugal encerrado num sistema patriarcal, conservador, racista, pouco alfabetizado e pobre”, cruzando-o com a geografia social e humana de um “território extremamente rural (apesar de situado na capital) onde coabitam uma população idosa e com pouca escolaridade, que se fixou no local nos anos 1960, e uma população jovem, em grande parte com origens africanas.” FB

Entrada gratuita, mediante marcação prévia para [email protected]

teatro
13 janeiro a 14 janeiro 2024
sáb: 15h; dom: 15h, 18h
Quinta Alegre – Um Teatro em Cada Bairro

Bate-estradas – Joana Brito Silva

Data

14 Jan 2024
Desde

Hora

15:00

Localização

Quinta Alegre - Lugar de Cultura
Campo Amoreiras 93, 1750 Lisboa
Translate »