Avançar para o conteúdo
A censura e o reino da estupidez»: a segunda parte do título remete para duas famigeradas obras.

Ciclo de Seminário Ciência e Cultura. Quebrar Fronteiras: A censura e o reino da estupidez

Ciência e Cultura. Quebrar fronteiras: A censura e o reino da estupidez

CICLO DE SEMINÁRIOS | 27 maio ’24 | 14h30-16h30 | Sala de Formação | Entrada livre

 

Resumo

«A censura e o reino da estupidez»: a segunda parte do título remete para duas famigeradas obras. A primeira, atribuída a Francisco de Melo Franco, foi composta por volta de 1785; a segunda, com título assumidamente retomado da primeira, de Jorge de Sena e publicada em 1961.

Nenhuma dessas obras trata explicitamente da censura. Mas, vistas de longe, assinala-se a sua omnipresença. Serão, portanto, o nosso ponto de partida para refletir sobre as manifestações da estupidez, sem esquecer o seu suposto contrário, a inteligência, nos domínios do controlo e do combate à livre expressão humana, tanto ao nível institucional, como individual, isto é, do censor.

Esta sessão, aliás, integra-se na preparação de um encontro sobre a estupidez do último. De reparar, enfim, que não se pretende entrar numa abordagem universalista dos fenómenos, mas limitar-nos-emos à longa modernidade portuguesa (sécs. XV-XX), sem, todavia, evitar escapadas na atualidade onde opera também a estupidez artificial, inspirando-nos nesta formulação por Avital Ronell (2002): «a estupidez é também aquilo que esgota o conhecimento e desgasta a história».

 

Sobre o autor

Hervé Baudry é investigador no CHAM-NOVA, com trabalhos sobre a censura literária, em particular a microcensura.

Foi esponsável pela exposição «Bibliotecas limpas. Censura dos livros impressos nos século XV a XIX» na Biblioteca Nacional (fevereiro-abril 2022).

 

PRÓXIMAS SESSÕES

24 junho | A ‘alienatio mentis’ e os limites da razão na literatura medieval em Portugal | Bruno Barreiros

22 julho | O problema estético em G. W. Leibniz | Sofia Araújo

23 setembro | A ciência da alma na ‘Philosophia Libera’ (1673) de Isaac Cardoso | Luciana Braga

21 outubro | Feminino e objeto feitiço: a dinâmica da falta na relação de objeto | Joana Lamas

 

Coordenação: Adelino Cardoso e Nuno Miguel Proença

Data

27 Mai 2024

Hora

14:30 - 16:30

Localização

Biblioteca Nacional de Portugal
Biblioteca Nacional de Portugal
Campo Grande 83, 1749-081 Lisboa
Website
https://cartazculturallisboa.pt/agenda-biblioteca-nacional-de-portugal/
Translate »