Avançar para o conteúdo

A Gaiola das Coisas Suspensas – Ike Ferreira

Dia 28 de Setembro, quarta-feira pelas 19h, juntem-se a nós n´A Homem Mau, para a inauguração de – A Gaiola das Coisas Suspensas – de Ike Ferreira.

A exposição estará patente de 28 de Setembro a 27 de Outubro.

“A Gaiola das Coisas Suspensas é a primeira exposição individual de Ike Ferreira (São Paulo, 1982) desde que passou a habitar Lisboa, em Novembro de 2016. O processo criativo que aqui se apresenta começa no ano seguinte, particularmente a partir do momento em que o autor integra o curso de fotografia criado pelo colectivo Hélice – fotógrafos que usam a fotografia, que vai alimentar e potenciar um processo de questionamento que já estava em curso.
Com formação em arquitectura, a luz, a forma, a escala, o contraste e os vestígios da intervenção humana definem o seu espaço de conforto, mas a mudança de territórios sussurra-lhe novas linguagens criativas e, com elas, novas metodologias de trabalho germinam. A percepção, a imaginação e a representação permitem-se existir para além dos signos culturais e da história contada pelo património urbano. Observa-se e divaga-se para se encontrar sentido nas coisas, por meio de processos de abstração que procuram destabilizar o determinismo material daquilo que nos aparece como visível. Perde-se a noção de tempo e está tudo bem. Fica-se mais um bocadinho a olhar para as coisas. Mais um ano, uma década, uma vida… o tempo necessário para perceber de que as coisas são feitas.
Embora o batimento cardíaco, regrado e compassado, se mantenha, a rigidez da perspectiva e da grelha vai começando a tropeçar noutros ritmos. A respiração oscila e a intuição ganha espaço, permitindo que outras manchas, outros grafismos e outras referências animem a urgência de criar. A coisa flui. A fotografia, o desenho, a escrita livre, a pintura e a escultura contam essa história de experimentação, recorrendo a técnicas mistas e a materiais diversos, que por sua vez enformam a procura de uma expressão artística original.
Tal como Ike se apropria das histórias que vai encontrando órfãs do tecido urbano, a matéria empurra, encosta e aninha-se bem junto das vidas que gosta de imaginar. Como descobrir o equilíbrio entre a explosão de ideias indizíveis e a proliferação de riscos, pontos, linhas e manchas que traçam o mapa da rotina urbana? O Expressionismo, o Dadaísmo, o Surrealismo, a Poesia e o Ready-made desenham o mapa de referências em que Ike passa a se examinar, ao mesmo tempo que procura tocar uma qualquer ideia de autenticidade. Enquanto pensa como se intui, como se é espontâneo, Ike busca um espelho que lhe devolva uma identidade reconhecível, ainda que sem rosto. Mas será possível reconhecer a imagem verdadeira?”

Sofia Silva

Data

28 Set 2022
Expired!

Hora

19:00 - 22:30

Localização

A HOMEM MAU
Rua Gonçalves Crespo 6C, Lisboa




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.